Mauro Mendes entrega hospital com 210 leitos e investimentos de R$ 16 milhões

As modernas instalações do Hospital Metropolitano, unidade de referência para o atendimento e tratamento de casos graves da Covid-19, foram entregues ontem (14) pelo governador Mauro Mendes. Os investimentos foram de aproximadamente R$ 16,5 milhões para reformar e ampliar a unidade, que conta com 238 leitos clínicos e 40 Unidades de Terapia Intensiva. Destes, 210 são totalmente novos, pois houve a ampliação de 180 leitos clínicos e 30 de UTIs.

“Enquanto todos os estados brasileiros optaram por hospitais de campanha, Mato Grosso optou por fazer uma obra definitiva. Este é o mais barato hospital construído na sua mesma categoria e não existe hoje no Brasil nenhum hospital com essa qualidade, muito menos com esse preço. Um exemplo incontestável da forma como estamos administrando dinheiro público no Governo do Estado”, disse o governador Mauro Mendes.

Essa nova construção, finalizada em apenas 45 dias, faz parte das ações de enfrentamento ao coronavírus em Mato Grosso. A iniciativa é resultado das articulações do governador Mauro Mendes, durante tratativas com o secretário de Estado de Saúde Gilberto Figueiredo e demais membros da equipe do Gabinete de Situação, que trabalha as estratégicas de combate ao vírus e à pandemia.

“Este é mais um hospital que entra para rol de hospitais com o nível de qualidade que é a marca do Governo. Da para perceber isso desde a entrada onde tratamos a população com devido respeito. É um hospital parecido com clínica particular porque todos os cidadãos merecem um serviço de qualidade e esse é o cartão postal do Governo do Estado para todos os hospitais de Mato Grosso”, celebra o Gilberto Figueiredo.

A rápida finalização da construção do Hospital Metropolitano só foi possível pelo grande esforço e empenho dos profissionais da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), que atuaram na linha de frente da execução de todo o trabalho e tiraram do papel um projeto eficiente, com modelo de montagem de paredes de painel isotérmico, mesmo sistema usado na China.

Ao invés de construir hospitais de campanha, cujas estruturas são temporárias, para atender aos pacientes do coronavírus, o Estado optou pela ampliação de unidades hospitalares já existentes.

Mato Grosso construiu uma estrutura definitiva e, após a fase de pandemia, os leitos construídos ficarão para o Hospital Metropolitano. Com isso, a unidade terá um total 278 leitos – sendo que antes a estrutura contava com 58 leitos clínicos e 10 leitos de UTI – e continuará atendendo às especialidades contempladas antes da pandemia de coronavírus.

Para o senador Jayme Campos, Várzea Grande está ganhando um presente de aniversário. A cidade completa 153 anos nesta sexta-feira. “Várzea Grande está ganhando um presente, esse magnifico e exuberante hospital, na véspera do aniversário da cidade. Quero cumprimentar o governador Mauro Mendes e o próprio secretário de saúde Gilberto pela louvável iniciativa e, sobretudo, pela rapidez que construiu esse hospital. O Estado se encontrava numa situação totalmente sucateado. Hoje, o governador mostra que competência, seriedade e transparência podem atender muito bem a sociedade mato-grossense”.

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso também contribuiu com a realização das melhorias no hospital. A Casa de Leis devolveu R$ 30 milhões ao governo do Estado para ser utilizados nas ações de combate ao coronavírus. Os recursos foram direcionados à SES e fazem parte das medidas adotadas pelo Parlamento no combate à doença.

“A Assembleia fica feliz de participar desse evento porque é fruto de economia. Cortamos 100% das diárias, 50% de VI [Verba Indenizatória], cortamos passagens, vários gastos que poderíamos cortar dentro da Assembleia e colaborar para construção dessa bela obra. Ficamos mais felizes porque conseguimos ver que o dinheiro foi muito bem investido”, ressalta o deputado estadual Max Russi.

You may also like

Deixe o seu comentário