MT está sintonizado com Governo Federal para combate às queimadas e desmatamento ilegal

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, destacou que o Governo de Mato Grosso está alinhado às ações do Governo Federal para o efetivo combate às queimadas e desmatamento ilegal em 2020. Somente nos primeiros meses deste ano, o Estado aplicou mais de R$ 460 milhões em multas por ilegalidades ambientais.

Mourão esteve em Cuiabá ontem (07)para participar de mais uma reunião em que foram debatidos os avanços da Operação Verde Brasil II. O encontro ocorreu na 13ª Brigada de Infantaria Motorizada do Exército. Foi a segunda visita do vice-presidente em Mato Grosso neste ano. Em março, ele esteve no Palácio Paiaguás, onde foi recepcionado pelo governador Mauro Mendes.

“A conversa com o Governo de Mato Grosso tem sido sempre bastante positiva. O Estado está sintonizado com nossos objetivos de enfrentamento efetivo ao desmatamento ilegal, queimadas, venda de madeira irregular, entre outras irregularidades”, afirmou o vice-presidente, em entrevista coletiva para a imprensa após a reunião.

Durante a visita de Mourão, os secretários de Estado, Mauro Carvalho (Casa Civil), Mauren Lazzaretti (Meio Ambiente) e Alexandre Bustamante (Segurança Pública) apresentaram alguns dos resultados obtidos no combate ao desmatamento ilegal e queimadas e apontaram a dificuldade de maior efetividade na Região Noroeste de Mato Grosso.

“Solicitamos a criação de uma companhia de forças de segurança conjuntas na região do município de Colniza, que é onde existem as maiores pressões no sentido de dar fim ao desmatamento e queimadas ilegais. Por ser uma região de difícil acesso e longe dos principais centros essa demanda se faz urgente para um efetivo combate aos crimes ambientais naquela região”, destacou Mauro Carvalho.

O vice-presidente, segundo o chefe da Casa Civil, mostrou-se solícito ao pedido do Governo do Estado, uma vez que os representantes do Exército em Mato Grosso, como o general Reinaldo Salgado da 13ª Brigada, pontuaram que a administração estadual vem facilitando as operações conjuntas em Mato Grosso.

“O secretário da Casa Civil deixou claro a visão do governo no combate às ilegalidades ambientais e apontou que a Região Noroeste é a mais sensível por ser mais afastada. Por isso, nosso planejamento é de avançar nesse sentido para apoiar as ações do Governo. Claro que a criação de mais uma companhia requer recursos financeiros e o momento é delicado, mas nosso empenho é para a criação de 20 bases permanentes com apoio das forças de segurança em toda a região da Amazônia Legal”, assegurou ele.

Ainda de acordo com Mourão, a Operação Verde Brasil II terá suas ações mantidas permanentemente até que se consiga “debelar totalmente as ilegalidades ambientais, em termos de desmatamento, queimadas, venda de madeira e garimpos clandestinos”.

Ações de MT

Desde o início de 2020, o Governo de Mato Grosso já realizou mais de 20 operações em campo, além do aperfeiçoamento das metodologias de notificação e autuação remota. Ao longo dos primeiros meses do ano, a Coordenadoria de Fiscalização de Flora da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) embargou 243 áreas, apreendeu 24 máquinas utilizadas em desmatamento e aplicou cerca de R$ 460 milhões em multas por crimes contra flora.

Mato Grosso está atuando em seis frentes para combate aos crimes ambientais: planejamento e gestão, monitoramento, fiscalização, responsabilização, prevenção e combate aos incêndios florestais, e comunicação.

Resultados da Operação

Como um todo, os prejuízos aos infratores, no âmbito da Operação Verde Brasil II, alcançam o montante de R$ 113,6 milhões. Foram emitidos 264 termos de infração e 76 pessoas foram detidas por crimes ambientais.

A operação é coordenada pelo Conselho Nacional da Amazônia Legal e tem como integrantes o Governo de Mato Grosso, através das Secretarias da Casa Civil, de Meio Ambiente e de Segurança Pública (Polícia Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros), e o Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT), além das Polícias Federal e Rodoviária Federal, Ibama, ICMBio, entre outras entidades.

You may also like

Deixe o seu comentário