Estado fecha escola tradicional em Cuiabá; alunos são transferidos

O Governo do Estado confirmou o fechamento da escola estadual Nilo Póvoas, uma tradicional unidade de ensino localizada em Cuiabá, e que completa 50 anos de história em 2020. Em dezembro de 2019, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) já havia informado que os alunos da unidade de ensino seriam transferidos em 2020 para outra escola estadual.

A Seduc explicou que a estrutura da Nilo Póvoas vem sendo subutilizada, uma vez que possui capacidade para 1 mil alunos mas atende atualmente cerca de 130 estudantes.

Neste ano de 2020 já não será possível efetuar as matrículas na escola estadual. A Seduc determinou que os alunos sejam transferidos para escola estadual Antônio Epaminondas, localizada no bairro da Lixeira, na Capital.

“A partir de 2020, as matrículas serão disponibilizadas na EE Antônio Epaminondas, que vai oferecer vagas para o ensino fundamental nos anos finais (7º ao 9° ano) e ensino médio em tempo integral”, diz trecho da nota enviada pela Seduc ao FOLHAMAX.

A Secretaria de Educação informou, ainda, que vem realizando um processo de “reordenamento” da rede estadual visando “otimizar os recursos” disponíveis da secretaria – ou seja, o fechamento da unidade de ensino pode fazer parte da política de corte de gastos do governador Mauro Mendes (DEM), que em 2019 chegou a declarar estado de “calamidade financeira” em Mato Grosso.

A suposta falta de recursos, porém, não deveria justificar o fechamento da unidade de ensino. Em 2017, ainda na gestão do ex-governador Pedro Taques, a Nilo Póvoas foi uma das 6 escolas estaduais escolhidas em Cuiabá para oferecer o ensino público em tempo integral. Para tanto, a implantação do projeto – que contemplou outras 13 escolas estaduais -, teve que receber o aval do Ministério da Educação (MEC), que repassou R$ 10 milhões ao Governo de Mato Grosso para realização de adequações e adaptações nas escolas.

Em conversa com o FOLHAMAX, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato (Sintep-MT), Valdeir Pereira, confirmou a evasão de alunos da escola Nilo Póvoas, Ele disse que o projeto das escolas estaduais em tempo integral na unidade de ensino não levou em conta que muitos estudantes, a partir dos 14 anos, buscam ocupações remuneradas, como o trabalho realizado por meio do programa Jovem Aprendiz, por exemplo.

PROTESTO

Nesta quinta-feira, alunos e pais de alunos protestaram contra o fechamento da escola. Além de tradicional, a escola Nilo Póvoas tem uma boa localização, já que está na região central da cidade.

Folha Max

You may also like

Deixe o seu comentário