Após suspender rodízios em Cuiabá, prefeito promete barreiras sanitárias até amanhã

Até amanhã (7) a prefeitura de Cuiabá deve anunciar as regras e formato das barreiras sanitárias que serão implantadas para cumprir a decisão judicial que impôs o lockdown na Capital e também em Várzea Grande como medida para diminuir a contaminação do novo Coronavírus nas duas maiores cidades de Mato Grosso. A data foi estipulada pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) no decreto 7.980 e atribui a elaboração dos projetos à Diretoria de Vigilância em Saúde.

Pinheiro ainda não sabe como serão as barreiras sanitárias, quais ações serão executadas nem em qual ou quais pontos de Cuiabá serão montadas. Ele disse que “essa divisão é técnica, obedece a protocolos sanitários e epidemiológicos”. Segundo o prefeito, os números de contaminação compilados no final de semana “vão servir de base para que eu possa editar o decreto de quais as regiões terão que obedecer a quarentena coletiva obrigatória”.

Cuiabá está em lockdown por 15 dias desde o dia 25 de junho, quando começou a cumprir determinação judicial. O Município tenta reverter a decisão no Supremo Tribunal Federal (STF) por entender que o Judiciário invadiu competência do Executivo.

A instalação de barreiras sanitárias é uma das imposições da decisão judicial que determinou a quarentena obrigatória, mas, devido à complexidade técnica para criar as barreiras, a prefeitura pediu prazo para cumprir a decisão. Os 15 dias do lockdown judicial terminam na sexta-feira (10), mas o prazo pode ser prorrogado se a Justiça entender que não houve avanço no combate à pandemia.

Ainda no decreto 7.980, Emanuel Pinheiro revogou a realização de rodízios no tráfego de veículos automotores e limitação, por CPF, nos atendimentos presenciais realizados por bancos, lotéricas, supermercados e distribuidoras de bebidas.

You may also like

Deixe o seu comentário