Saiba quem são os 14 novatos que foram eleitos vereadores em Cuiabá

O desejo de mudança falou mais alto nas urnas, no domingo (15). Mais da metade dos vereadores de Cuiabá foram trocados. Alguns dos novatos são estreantes na disputa política e outros já estão tentando um cargo há várias eleições.

Demilson Nogueira (PP) é advogado, tem 58 anos, natural de Ponte Branca (491 km ao Sul), casado. Declarou R$ 10.353 em bens. Ele tentou ser prefeito de sua cidade natal em duas eleições, mas perdeu. Em 2016 ele tentou o Legislativo municipal e ficou como suplente, assumindo o cargo em 2017. Foi presidente do Instituto mato-grossense de terras (Intermat) e servidor da Assembleia Legislativa.

Marcus Brito (PV) não informou a profissão, nem declarou bens. Ele tem 36 anos e é solteiro. Essa foi a primeira eleição que disputou. Ele é filho do ex-procurador de Cuiabá, Marcus Brito

Eduardo Victor Magalhães (Republicanos) tem 41 anos, casado e é locutor de rádio. Não informou patrimônio. Em 2018 ele disputou o cargo de deputado estadual pelo PRB e ficou como suplente.

Edna Sampaio (PT) é servidora estadual, professora da Unemat e casada. Tem 53 anos e declarou R$ 900 mil de patrimônio. Ele disputou a Assembleia Legislativa em 2018 e ficou suplente. A eleita é também sindicalista.

Michelly Alencar (DEM) tem 37 anos e é jornalista. Não informou bens. Essa é a primeira eleição da qual participa. Ela era apresentadora de TV e recebeu apoio da primeira-dama, Virginia Mendes.

Didimo Vovô (PSB) é servidor municipal, casado, e declarou R$ 294.289 de patrimônio. Ele ficou como suplente de vereador em 2016, quando concorreu pelo PRB.

Dr. Luiz Fernando (Republicanos) é casado, declarou R$ 3.207.128. Esse foi seu primeiro pleito eleitoral. Ele era servidor na Secretaria Municipal de Obras de Cuiabá, nomeado em 2019.

Pastor Jeferson (PSB) é empresário, casado, tem 37 anos e declarou R$ 490 mil. Esse foi o primeiro pleito eleitoral.

Tenente coronal Paccola (Cidadania) tem 36 anos é casado e policial militar. Declarou R$ 1,2 milhão em bens. Essa foi a primeira disputa política. Ele foi preso em setembro de 2019 acusado de falsificar número de registro de arma em favor de grupo criminoso formado por policiais militares.

Rodrigo Arruda de Sá (Cidadania) é advogado, divorciado, tem 40 anoso. Ele não declarou bens essa foi sua primeira campanha política.

Paulo Henrique (PV) tem 52 anos e é servidor público municipal, casado. Em 2016 ele tentou se eleger vereador, mas ficou suplente. Declarou R$ 23.743 em bens. Ele é irmão do secretário de Mobilidade Urbana de Cuiabá, Antenor Figueiredo.

Cesinha Nascimento (PSL) tem 40 anos, é solteiro e não informou a profissão. Essa é sua primeira eleição. Declarou R$ 190 mil de patrimônio.

Kassio Coelho (Patriota) tem 41 anos, é casado e ficou na suplência de deputado em 2018. Declarou patrimônio de R$ 40 mil.

Sargento Vidal (Pros) é policial militar reformado, tem 51 anos. Divorciado, declarou R$ 376 mil em bens. Ele já participou de diversos pleitos. Em 2012 e 2016 disputou o Legislativo municipal e ficou suplente. Em 2014 e 2018 tentou ser deputado estadual e também ficou suplente. Ele estava no PMN antes de mudar para o Pros

Gazeta Digital

You may also like

Deixe o seu comentário