Endividamento dos cuiabanos recua em março

O número de famílias endividadas em Cuiabá recuou em março e atingiu 72,7%, contra 74% observado no mês anterior, de acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC) em parceria com o Instituto de Pesquisa e Análise da Fecomércio-MT (IPF-MT). O índice atual é o mesmo registrado em janeiro deste ano, o que demonstra tendência de estabilidade.

Com relação às famílias que não estão conseguindo honrar suas dívidas e que, portanto, estariam inadimplentes, o índice chegou a 33,1%. Esta foi a terceira queda consecutiva e se aproximou do percentual registrado em março do ano passado (29,6%).

O presidente da Fecomércio-MT, José Wenceslau de Souza Júnior, reforçou que a pesquisa de março atingiu o “platô” no número de endividados. “A oscilação dos últimos meses demonstra estabilidade. Sete em cada 10 famílias possuem algum tipo de conta parcelada e o uso do cartão de crédito lidera, para 75,4% dos entrevistados, como o principal tipo de dívida neste momento”.

Segundo a análise do IPF-MT, a alta no comparativo anual de famílias endividadas, que registrava 64,4% em março de 2020, pode ser prejudicial com o agravamento da crise na saúde. A demora na imunização coletiva por meio das vacinas pode acarretar medidas restritivas mais duras e, consequentemente, prejudicar a balança doméstica das famílias, aumentando a inadimplência.

Ainda no comparativo anual da pesquisa, a proporção de famílias que se declararam muito endividada em março aumentou para 16,6%, uma vez que este percentual registrava 14,9% no mesmo período do ano passado. Os dados da Peic na capital estão acima da média nacional, tanto em endividamento, que alcançou 67,3% no país, quanto em inadimplência, atingindo 24,4% das famílias brasileiras.

You may also like

Deixe o seu comentário