Bolsonaro acusa Barroso de “militância política” por CPI da Covid

O presidente Jair Bolsonaro utilizou as redes sociais nesta sexta-feira (9/4) para subir o tom contra o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, que determinou, na noite de quinta-feira (8/4), a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar eventuais omissões do governo federal durante a pandemia de covid-19. O magistrado atendeu pedido dos senadores Alessandro Vieira, Randolfe Rodrigues e Jorge Kajuru.

“A CPI que Barroso ordenou instaurar, de forma monocrática, na verdade, é para apurar apenas ações do governo federal. Não poderá investigar nenhum governador que porventura tenha desviado recursos federais do combate à pandemia”, escreveu.

O chefe do Executivo cobrou a mesma postura do ministro para que o Senado analise pedidos de impeachment de ministros da Corte.

“Barroso se omite ao não determinar ao Senado a instalação de processos de impeachment contra ministro do Supremo, mesmo a pedido de mais de 3 milhões de brasileiros”, completou, atacando o magistrado, ao qual acusou de fazer “imprópria militância política”. “Falta-lhe coragem moral e sobra-lhe imprópria militância política”, concluiu.
As declarações foram feitas, inicialmente, a apoiadores na saída do Palácio do Alvorada. Posteriormente, ele reproduziu a conversa nas redes. Aos bolsonaristas, em mais uma crise com o Supremo, ele foi além e classificou a decisão da CPI de “politicalha”, e destacou o fato de o magistrado ter sido advogado de Cesare Battisti antes de compor a Corte, o que teria influenciado em sua indicação.

Barroso, nós conhecemos seu passado, sua vida, o que você sempre defendeu, como chegou ao STF, inclusive defendendo o terrorista Cesare Battisti. Então, use a sua caneta em defesa da vida e do povo brasileiro, e não para fazer politicalha dentro do Senado. Se tiver um pingo de moral, ministro Barroso, mande abrir processo de impeachment contra alguns dos seus companheiros do STF”, disparou.

Bolsonaro disse ainda que a CPI é contra o presidente e trata-se também de mais uma “jogadinha” para tirá-lo da presidência. “[A CPI] é contra o presidente Jair Bolsonaro. É exatamente isso, a CPI não é para apurar desvios de governadores, é para apurar, segundo está na ementa lá do pedido de CPI, omissões do governo federal. Ou seja, uma jogadinha entre Barroso e a bancada de esquerda no Senado para desgastar o governo”, emendou.

“O país vive momento crítico de pandemia, pessoas morrem e o ministro do STF faz politicalha junto ao Senado”, concluiu.

Correio Braziliense

You may also like

Deixe o seu comentário